Encontro Com a Palavra

A Epístola de Judas

Pr. Dick Woodward      segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Nesta carta inspirada de apenas um capítulo, encontramos um assunto muito semelhante à II Carta de Pedro.

A principal preocupação desse autor é com as heresias e os falsos mestres.

Um homem chamado Judas é o autor desta carta. As conclusões dos teólogos é que este homem foi outro meio-irmão de Jesus.

Judas conta que seu objetivo ao escrever esta carta era fazer um tratado sobre a salvação, mas que mudou de idéia em razão de algumas pessoas não estarem ensinando uma doutrina correta.

Eles estavam ensinando que, como Deus é gracioso, Ele nunca disciplina Seus filhos.

Judas estava preocupado com algumas pessoas que estavam se distanciando da fé e do ensino que tinham ouvido e no qual tinham crido.

Judas relembra o episódio narrado no capítulo 14 do Livro de Números, em que uma geração inteira dos filhos de Deus andou em círculo durante 40 anos e morreu no deserto, porque não tiveram fé para invadir Canaã.

Deus fez apenas duas exceções: Calebe e Josué. Esses dois homens foram os únicos daquela geração que entraram na terra de Canaã porque creram plenamente no Senhor e O seguiram.

Judas relembra os falsos mestres e o episódio da morte daquela geração no deserto.

Os falsos mestres estavam ensinando ao povo que é permitido se fazer o que quiser e Deus não vai se importar com nada disso, como se Deus fosse algum tipo de Santo Vovô.

As Escrituras ensinam que, junto com o amor, existe outro lado do caráter de Deus, que é Sua ira e o Seu julgamento, porque Deus é um Deus Santo.

Judas também dá o exemplo dos anjos caídos e diz que eles foram lançados no abismo.

Deus não ficou sentado, simplesmente assistindo aos anjos fazerem o que eles quisessem, sem tomar nenhuma atitude.

O terceiro exemplo mencionado por Judas refere-se à Sodoma e Gomorra; como essas duas cidades pereceram no fogo eterno.

Através desses exemplos Judas enfatiza o julgamento de Deus.

Para Judas, os falsos mestres são como “ondas bravias do mar, espumando seus próprios atos vergonhosos; estrelas errantes, para as quais estão reservadas para sempre as mais densas trevas.” (V.13)

O destino dessas estrelas errantes é semelhante ao dos anjos caídos.

Judas se mostra muito preocupado com as vítimas dos falsos profetas e escreve na tentativa de resgatar essas pessoas.

Devemos tentar tirá-las desse fogo sem nos queimar.

Judas conclui sua carta com algumas exortações para os que foram resgatados. A sua exortação é prática e objetiva sobre como permanecer na fé verdadeira.

Gosto desta exortação de Judas: “porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna.”. (Vs.20,21)

Durante muitos séculos, os pastores têm usado esta benção para encerrar seus cultos: “Àquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre! Amém.” (Vs.24,25)

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...


Últimos Artigos

O Primeiro Programa de Entrevista

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Hu-hum ou Naum?

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

A Solução Final de Deus

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

O Profeta Político

segunda-feira, 4 de novembro de 2019