Encontro Com a Palavra

A Profecia de Obadias

Pr. Dick Woodward      sexta-feira, 26 de maio de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

“Visão de Obadias. Assim diz o Soberano, o SENHOR, a respeito de Edom: Eu tornarei você pequeno entre as nações. Será completamente desprezado!
A arrogância do seu coração o tem enganado, você que vive nas cavidades das rochas e constrói sua morada no alto dos montes; você que diz a si mesmo: ‘Quem pode me derrubar?’
Ainda que você suba tão alto como a águia e faça o seu ninho entre as estrelas, dali eu o derrubarei”, declara o SENHOR.” (Capitulo 1: 1–4)

Assim tem início o livro de Obadias. Mas, o que Obadias quis dizer, quando se referiu a um povo orgulhoso, que vivia nas encostas de um monte e achava que ninguém o derrubaria do seu ninho?

Para alguns estudiosos da Bíblia, esse livro é um alerta para os dias atuais; para aqueles que vivem à procura de vida em outros planetas.

Há algumas décadas alguns estudiosos deram uma interpretação para esses versículos, dizendo que Deus não quer que moremos em prédios altos.

Também no século passado esse texto foi interpretado com o seguinte sentido:

“Se nos tornarmos orgulhosos com relação à ciência e à tecnologia, procurando tipos de vida em outros planetas, Deus nos humilhará e seremos trazidos de volta para terra”.

Mas, quando Obadias escreveu essa profecia, não estava se referindo a prédios altos, nem ao espaço interplanetário.

Ele estava imbuído de ira santa e proferiu essas profecias breves contra um povo hostil, que cometera grande crueldade contra o povo de Judá por ocasião da conquista de Jerusalém pelos babilônicos.

O Caminho de Edom é Condenado

Deus, através de Obadias, condenou uma nação chamada “Edom”. Esse povo vivia numa região situada na Jordânia, hoje conhecida como “Petra – A Cidade Rosa Vermelha”.

Essa região é formada por encostas de formação rochosa avermelhada; possui dos dois lados cavernas de até duzentos metros de altura, e um ”canyon” que pode ser atravessado a cavalo.

Esses grandes espaços na rocha foram, um dia, a cidade desse povo sobre o qual Obadias escreveu.

Depois de atacar e saquear cidades de seus inimigos ou caravanas de mercadores ricos, esse povo escalava rochas por meio de escadas de cordas e escondia-se nas cavernas, escapando dos seus inimigos.

Essas habitações altas fizeram dele um povo indestrutível por muito tempo.

 

Foi por isso que Obadias escreveu: “A soberba do teu coração te enganou...e dizes no teu coração: ‘Quem me deitará por terra?" (V.3)

Quem era exatamente esse povo? Os edomitas eram descendentes de Esaú, irmão de Jacó.

O Livro de Gênesis conta que Jacó e Esaú eram gêmeos, mas tinham valores opostos e estilos de vida bem diferentes.

Enquanto Jacó, apesar de ter sido usurpador, representa o homem espiritual, Esaú é o profano, que não dá importância às coisas espirituais. Hoje ele seria chamado de um “homem secular”.

Isso está registrado no livro de Gênesis, na história de Esaú, quando, por um prato de lentilha, ele vendeu seu direito de primogenitura para seu irmão Jacó.

Enquanto os descendentes de Jacó, que depois recebeu o nome de Israel, deram origem ao povo judeu, Esaú tornou-se o pai de Edom, nação inimiga dos judeus.

O povo de Edom era anti-semita e estava sempre à procura de oportunidades a fim de se aliar a outras nações, com o objetivo de eliminar os judeus.

A profecia de Obadias prevê a queda de Edom, queda essa que seria uma conseqüência do seu ódio e da sua perseguição contra os judeus.

Obadias esbravejou oito acusações específicas contra Edom: “Você não devia ter olhado com satisfação o dia da desgraça de seu irmão; nem ter se alegrado com a destruição do povo de Judá; não devia ter falado com arrogância no dia da sua aflição.
Não devia ter entrado pelas portas do meu povo no dia da sua calamidade; nem devia ter ficado alegre com o sofrimento dele no dia da sua ruína; nem ter roubado a riqueza dele no dia da sua desgraça.
Não devia ter esperado nas encruzilhadas, para matar os que conseguiram escapar; nem ter entregado os sobreviventes no dia da sua aflição. (12-14)

“Pois o dia do SENHOR está próximo para todas as nações. Como você fez, assim lhe será feito. A maldade que você praticou recairá sobre você.” (V.15)

Estudiosos acreditam que nessa profecia Obadias estava condenando o comportamento de Edom contra Judá durante a queda de Jerusalém.

Fato que ocorreu sob o reinado de Zedequias, quando a cidade foi destruída e seu povo foi assassinado, ou levado cativo.

O povo de Edom não só assistiu à tomada de Jerusalém pelos babilônios como ajudou a saquear a cidade.

Esse povo ainda capturava e entregava aos babilônios os judeus que conseguiam escapar do horror do cativeiro.

Obadias apregoa o castigo contra Edom, e se une aos demais profetas na pregação do Dia do Senhor.

Ele pregou ao povo de Edom: “Como você fez, assim lhe será feito.”

O Dia do Senhor para Edom aconteceu quando essa profecia se cumpriu e Edom foi totalmente varrida da face da terra.

Obadias previu com exatidão qual seria o instrumento de destruição desse povo.

“A descendência de Jacó será um fogo, e a de José uma chama; a descendência de Esaú será a palha. Eles a incendiarão e a consumirão. Não haverá sobreviventes da descendência de Esaú, declara o SENHOR.” (V.18)

Essa profecia foi cumprida ao pé da letra. A nação de Edom desapareceu das páginas da história e foi completamente aniquilada pelos Romanos no ano de 70 d.C.

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...

Cadastre-se gratuitamente nos cursos do Ecncontro Com a Palavra

 

Clique no link abaixo e faça seu cadastro agora mesmo!

Últimos Artigos

A Graça de Dar

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

A Transcendência do Ministro

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

A Transparência do Ministro

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

A Tarefa do Ministro

segunda-feira, 2 de novembro de 2020