Encontro Com a Palavra

As Visões e Revelações de Daniel

Pr. Dick Woodward      quinta-feira, 18 de maio de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Os seis primeiros capítulos do Livro de Daniel são um relato histórico e, portanto de fácil entendimento.

Os últimos seis capítulos são mais difíceis, como são difíceis o Livro do Apocalipse e os profetas Ezequiel e Zacarias.

A interpretação que Daniel fez do primeiro sonho de Nabucodonosor, no capítulo 2, é como um modelo para nos orientar na interpretação das outras visões e revelações também muito difíceis do livro.

Somente através do ministério do Espírito Santo é que podemos entender essas visões que são revelações proféticas da grande obra de Deus no mundo.

Vejamos alguns passos que podem nos ajudar a entender as visões e revelações no Livro de Daniel.

Primeiro, observe os símbolos das visões. Por exemplo, na primeira visão de Daniel, registrada no capítulo sete, os símbolos nela contidos são semelhantes ao do primeiro sonho de Nabucodonosor.

Quatro ventos fortes se levantam e agitam o grande mar de onde saem quatro animais.

O quarto animal era terrível e assustador e destruiu os outros animais, mas antes da destruição, cresceram-lhe dez chifres.

Depois dos dez chifres, surgiu mais um chifre pequeno. Este tinha olhos e uma boca grande e falava coisas grandes e poderosas.

Agora observe a ação e a interação entre os símbolos. Considere a interpretação dada ao texto, que é a interpretação inspirada da passagem bíblica.

Depois de fazer isso, ore pedindo ao Espírito Santo que mostre a você o que significam todos aqueles símbolos.

Pergunte a você mesmo: “o que esse texto está falando, o que tudo isso significa, o que significou para eles e o que significa para mim?”.

A interpretação inspirada de Daniel no capítulo 7 mostra que estamos novamente olhando para quatro grandes reinos.

“Os quatro grandes animais são quatro reinos que se levantarão na terra.
Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e o possuirão para sempre; sim, para todo o sempre.” (17-18)

Surgirá um quarto reino na terra para devorá-lo. “Os dez chifres são dez reis que sairão desse reino. Depois deles, um outro rei se levantará, e será diferente dos primeiros reis.
Ele falará contra o Altíssimo, oprimirá os seus santos e tentará mudar os tempos e as leis. Os santos serão entregues nas mãos dele por um tempo, tempos e meio tempo” (24-25)

Sempre que a Bíblia menciona chifres, está se referindo a poder, porque o chifre de um animal é o instrumento com o qual ele abate outros animais.

Esses dez chifres e o chifre pequeno também representam poder e reinos.

Muitos estudiosos da Bíblia interpretam esse quarto reino como o Império Romano que ressurgirá.

Na visão de Nabucodonosor, a perna de ferro, o quarto reino, representava o Império Romano.

Alguns teólogos acreditam que essa visão também representa o Império Romano ressurgido, mas num tempo futuro.

Outros dizem que esse quarto reino é mais terrível do que todos os outros, e que representa o reino de Deus, expressa profeticamente a ira de Deus.

Não devemos ser dogmáticos a respeito da interpretação das profecias de Daniel.

Não importa se estamos ou não certo a respeito dos detalhes, devemos nos lembrar dessa grande verdade contida na profecia do capitulo sete:

Se você faz parte do povo de Deus, então faz parte de um reino que vai ser vitorioso.

Todas essas visões terminam com uma observação otimista e ilustram o reino de Deus conquistando todos os outros reinos e reinando eternamente.

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...


Últimos Artigos

Deus em Primeiro Lugar

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Limpe Tudo Antes e Depois!

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

O Primeiro Programa de Entrevista

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Hu-hum ou Naum?

sexta-feira, 8 de novembro de 2019