Encontro Com a Palavra

Duas Formas de Tentação

Pr. Dick Woodward      terça-feira, 14 de novembro de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Aprendemos no primeiro capitulo da epístola de Tiago que ele era um homem que não se preocupava com a aparência superficial das coisas, mas com a essência delas.

Neste sentido, Tiago era muito parecido com Jesus.

Jesus falou muito sobre a questão do homem interior e do homem exterior e sobre as reais motivações das nossas ações.

A essência da mensagem de Tiago assemelha-se a esses valores enfatizados no ensino de Jesus.

No capítulo primeiro Tiago fala sobre a origem e as conseqüências das nossas tribulações.

Em algumas traduções a palavra “tentação” é usada no lugar de “tribulação” ou “provação”.

Tiago distingue um caso do outro, mas logo no início da sua epístola ele se refere à provação do sofrimento: “Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações” (1:2)

Tiago afirma que devemos nos alegrar durante as provações porque: “A prova de fé serve para nos levar à confiança de fé. Se você permitir esta prova de fé que leva à confiança de fé, experimentará o triunfo da fé, a ‘coroa da vida’, a que Tiago se refere”.

Quando as tempestades da vida o levam a ponto de não saber o que fazer, você percebe que precisa de mais sabedoria do que tem.

Tiago exorta que devemos deixar que a prova de fé nos leve à confiança de fé.

Quando faltar sabedoria, peçamos a Deus que tem prazer em nos dar.

A Anatomia do Pecado

A seguir Tiago define um tipo de provação na qual não deveríamos nos alegrar. Deus não é a fonte da tentação do pecado.

Na segunda parte do capitulo primeiro, Tiago apresenta o que podemos chamar de “A Anatomia do Pecado”.

Ao mesmo tempo em que ele afirma que a tentação do pecado não vem de Deus, diz que ela também não vem do diabo.

A tentação vem de dentro de nós mesmos. É assim que funciona: primeiro você vê alguma coisa; a seguir acontece a lascívia, um forte desejo pelo que você viu.

Imagine que você tenha visto um pedaço de metal e que a sua lascívia funcione como um imã potente.

Se você não fizer nada para quebrar o campo magnético entre a lascívia e o objeto da lascívia, um dia haverá a confrontação com a tentação.

De acordo com Tiago, a tentação não é o pecado. Você não peca só porque é tentado.

Jesus foi tentado em todos os pontos que nós somos e não pecou. (Hebreus 4:15)

Não é pecado ser tentado, mas geralmente a tentação leva a atos revelados de pecado.

Quando você dá vazão à tentação e ao pecado em si, a conseqüência é sempre a morte. (Romanos 6:23)

A questão da anatomia do pecado é: se você não quiser pecar, deve vencer a batalha com o pecado no estágio da lascívia, ou seja, antes de confrontar a tentação.

Jesus ensinou na oração do Pai Nosso: “Não nos deixe cair em tentação” (Mateus 6:13)

Resumo

No primeiro capítulo de sua carta, Tiago conta como Deus pode nos fazer crescer em meio às provações.

Ele também está falando sobre a seqüência da tentação, que leva ao pecado e à morte.

Não existe nada de bom no pecado.

Podemos resumir assim o primeiro capitulo de Tiago: provação para a vida, tentação para a morte e a diferença entre os dois.

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...

Cadastre-se gratuitamente nos cursos do Ecncontro Com a Palavra

 

Clique no link abaixo e faça seu cadastro agora mesmo!

Últimos Artigos

Como estão divididos os livros da Bíblia?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Os Modelos de Ordem Para a Igreja

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

A Cronologia do Retorno de Cristo!

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Fatos sobre a volta de Jesus!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021