Encontro Com a Palavra

O livro de Ester

Pr. Dick Woodward      segunda-feira, 27 de março de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

O Velho Testamento registra grandes livramentos do povo de Deus. O primeiro aconteceu através de José, que salvou o povo hebreu da fome; o segundo foi o Êxodo, a libertação da tirania e da escravatura Egípcia.

O terceiro livramento foi à volta do povo de Israel do cativeiro babilônico e o quarto está registrado no Livro de Ester.

O Livro de Rute e o Livro de Ester registram a história de mulheres de excelente caráter e que contribuíram para a obra de Deus.

Rute foi uma mulher do povo gentio, que se casou com um judeu e entrou para a linhagem messiânica.

Ester foi uma judia que se casou com um homem gentio e salvou o povo judeu de um genocídio, preservando a linhagem messiânica.

O Livro de Ester assemelha-se a um drama e por isso nosso estudo será dividido como o roteiro de uma peça.

1º Ato - Os Planos Humanos

Cena 1: A Festa Persa

O ano é 482 a.C. e o cenário dessa festa é o Império Persa. Os convidados são cento e vinte e sete representantes das províncias do reino da Pérsia e Média. A personagem principal é uma rainha, a Rainha Vasti que é destituída da sua posição. Seu marido é o rei Xerxes ou Assuero, conforme a tradução bíblica.

Essa festa teve a duração de seis meses e uma semana e a bebida alcoólica era à vontade; a única regra nessa festa é que ninguém poderia ser impedido de beber (Ester 1:8).

A Rainha Vasti ficou com as outras mulheres num lugar separado dos homens.

O problema todo começou quando ela foi chamada pelo imperador, seu marido, para se apresentar na festa e desfilar toda sua beleza para aqueles homens que já estavam bebendo havia seis meses e uma semana.

Dá para entender porque ela se recusou!

Infelizmente o rei Xerxes não entendeu.

Cena 2: O Fim da Rainha Vasti

Os nobres da corte explicaram ao contrariado rei Xerxes que a atitude da rainha Vasti não ofendia apenas o rei, mas a todos os homens do reino.

Ela havia desobedecido a uma ordem do rei e agora todas as mulheres também seriam desobedientes e insubmissas.

Por isso eles insistiram com o rei para que banisse Vasti do seu cargo de rainha e que encontrasse outra mais dócil e submissa para ocupar o seu lugar.

Dessa forma, as outras mulheres veriam o que tinha acontecido a Vasti e respeitariam seus maridos (Ester 1:16-20).

O rei Xerxes e todos os seus subordinados acharam que isso era sensato, acataram o conselho dos nobres e mandaram cartas para as cento e vinte e sete províncias, em suas respectivas línguas, declarando que todo homem deveria fazer valer sua autoridade na sua casa (Ester 1:21-22).

Cena 3: A Festa Persa

Foi organizado um concurso de beleza em todo o império a fim de escolher a nova rainha.

Aquele não era um concurso de beleza qualquer. Todas as mulheres mais bonitas de todo o reino seriam levadas para o harém do rei e depois de dormir com cada uma delas, ele escolheria a sua preferida para ser a nova rainha (Ester 2:2-4). O rei gostou tanto da sugestão que a colocou em prática imediatamente.

Na verdade esse concurso de beleza era uma maneira cruel de levar mulheres para o harém do rei.

O tipo de relação que um antigo monarca tinha com muitas mulheres do seu harém não era como uma relação entre marido e mulher.

O rei tinha dois haréns: harém A e harém B.

Ao chegarem no harém A as mulheres recebiam um tratamento de beleza durante um ano. Depois disso iam para o harém B onde passavam o resto de suas vidas e só viam o rei se ele se agradasse delas e as solicitasse novamente.

Na maioria das vezes o rei estava tão bêbado que nem se lembrava com que mulher havia dormido.

De acordo com a perspectiva do monarca, não havia propósito mais importante na vida daquelas mulheres do que passar uma noite com ele e da qual ele poderia nunca mais se lembrar.

Mardoqueu e Ester

O personagem seguinte é Mardoqueu, um exilado judeu, e sua encantadora sobrinha Ester, que ele tinha criado desde a morte de seus pais.

Ester tinha uma beleza indescritível e por isso foi obrigada a participar daquele concurso. Mardoqueu a instruiu para que a ninguém revelasse sua origem. Esse segredo foi uma providência de Deus.

Quando Ester foi chamada para sua primeira noite com o rei Xerxes, ele gostou tanto dela que a fez rainha da Pérsia e Média.

Deus tinha colocado uma judia no trono do império mais poderoso do mundo.

Tempos depois outro rei chamado Artaxerxes, afilhado de Ester, daria permissão a Neemias para que voltasse para Jerusalém e reconstruísse os muros da cidade.

Um dia em que Mardoqueu estava sentado junto aos portões do palácio, escutou dois homens planejando assassinar o rei. Mardoqueu contou à rainha Ester, e ela fez o rei saber.

A vida do rei foi salva e os dois conspiradores foram enforcados. Esta boa ação de Mordecai foi registrada nas crônicas do rei, entretanto Xerxes nunca foi lembrado de recompensar Mardoqueu.

Este incidente também foi uma providência de Deus nessa intrigante história.

Cena 4: A Expurgação Persa

Nesta cena deparamo-nos com o vilão da trama, um homem ímpio chamado Hamã, um dos oficias mais importantes do rei.

Quando ele passava pelas ruas exigia que todos se inclinassem diante dele. Todos faziam isso, menos Mardoqueu, que obedecia aos mandamentos do Senhor (Êxodo 20:3-4).

Essa atitude de Mardoqueu fez com que Hamã se enchesse de cólera, e prometeu que o mataria e não apenas ele, como todo o seu povo (Ester 3:5-6).

Ele persuadiu o rei a emitir um decreto ordenando que todos os judeus do Império Persa fossem mortos no dia 28 de Fevereiro do ano seguinte (Ester 3:7-11).

Ele e o rei jogaram dados para determinar a data.

Na língua persa a palavra “jogar dados” é Pur. A festa judaica chamada “Festa do Purim”, que até hoje é comemorada, relembra esse quase total genocídio do povo judeu.

Quando Mardoqueu soube do terrível decreto, rasgou suas roupas, vestiu-se com roupas de saco e saiu pela cidade chorando em voz alta (Ester 4:1).

Todos os judeus em todas as cento e vinte e sete províncias do Império Medo Persa levantaram um lamento desesperado.

Quando Ester soube que Mardoqueu estava clamando a Deus vestido de pano de saco, enviou-lhe uma mensagem, para saber o que estava acontecendo.

Mardoqueu mandou o recado de volta pedindo que ela intercedesse junto ao rei em favor de todos os judeus do império.

Ester replicou dizendo que se ela se apresentasse ao rei sem ser chamada e ele não lhe levantasse o cetro, ela poderia ser morta. E fazia um mês que ela não era chamada à presença do rei (Ester 4:11).

Mardoqueu mandou o seguinte recado de volta a Ester: "Não pense que pelo fato de estar no palácio do rei, de todos os judeus só você escapará,
pois, se você ficar calada nesta hora, socorro e livramento surgirão de outra parte para os judeus, mas você e a família de seu pai morrerão. Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha? " (Ester 4:13,14)

Ester então pediu a Mardoqueu que reunisse todos os judeus em oração e jejum em seu favor: "Vá reunir todos os judeus que estão em Susã, e jejuem em meu favor. Não comam nem bebam durante três dias e três noites. Eu e minhas criadas jejuaremos como vocês. Depois disso irei ao rei, ainda que seja contra a lei. Se eu tiver que morrer, morrerei". (Ester 4:16)

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...


Últimos Artigos

O Primeiro Programa de Entrevista

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Hu-hum ou Naum?

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

A Solução Final de Deus

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

O Profeta Político

segunda-feira, 4 de novembro de 2019