Encontro Com a Palavra

O Reino de Deus

Pr. Dick Woodward      sexta-feira, 3 de março de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Até agora estudamos os três primeiros livros históricos do Velho Testamento, Josué, Juízes e Rute, conhecidos também como “Os Livros Históricos Alegóricos”, em razão dos exemplos e alertas que nos apresentam. Agora que vamos estudar o Primeiro Livro de Samuel, iniciamos uma nova divisão: “Os Livros Histórico-Literários do Reino”.

Esta divisão inclui Primeiro e Segundo Samuel, Primeiro e Segundo Reis e Primeiro e Segundo Crônicas. Todos esses livros são considerados “Literatura do Reino” porque todos eles falam a respeito do Reino de Deus.

Em algumas versões da Bíblia esses livros foram organizados de maneira diferente. Os livros de Primeiro e Segundo Samuel eram Primeiro e Segundo Livro dos Reis, e Primeiro e Segundo Reis, Terceiro e Quarto Livros dos Reis. Os Livros de Primeiro e Segundo Crônicas abordam o mesmo período da história, e enfocam a maneira como Deus vê esse período da história dos hebreus.

O conceito do Reino de Deus é o tema central desses livros e nós vamos explorar mais essa questão, porque através do estudo desses livros do Velho Testamento podemos melhor entender o que o Reino de Deus significa no Novo Testamento, principalmente nos Ensinos de Jesus.

O Reino de Deus no Velho Testamento

A liderança de Moisés sobre os filhos de Israel era de acordo com a vontade de Deus. O Senhor queria que eles vivessem sob uma teocracia, ou seja, Deus governando o povo através de um sacerdote profeta, como foi com Moisés, e mais tarde, através de Samuel.

Quando Moisés intercedia em nome do povo, ele era o sacerdote (Números 11:1-2 e 21:7). Mas quando ele desceu do Monte Sinai trazendo as palavras de Deus para o povo, ele era o profeta (Confira os capítulos 20 e 24 do Livro de Êxodo).

Moisés foi o líder através de quem Deus guiou o povo. Esse sacerdote-profeta era o veículo através do quem Deus manifestava Sua vontade e governava Seu povo. Esse era o plano de Deus para o governo do Seu povo escolhido.

No Primeiro Livro de Samuel, ficamos conhecendo o sacerdote-profeta Samuel. Quando este sacerdote-profeta envelheceu e os israelitas viram que seus filhos não tinham a mesma integridade do pai para governar, comunicaram a Samuel que queriam ter um rei como todas as outras nações (I Samuel 8:1-5).

Desgostoso Samuel orou ao Senhor. Deus lhe disse para não levar aquela rejeição para o lado pessoal nem ficar ofendido. Na verdade o povo estava rejeitando a Deus, preferindo um homem como rei. Por isso Deus disse a Samuel: “Atende à sua voz e estabelece-lhe um rei” (I Samuel 8:22).

Este cenário é uma preparação para o entendimento do conceito de Reino de Deus. O povo queria um reino geograficamente localizado, uma nação, um território; queria ser um povo estabelecido, política e geograficamente.

Para colocar este plano em ação, Deus precisava de um rei que Lhe obedecesse e de um sacerdote que buscasse Sua presença em nome do povo. Deus também precisava de profetas para transmitir Suas palavras ao povo e a seus líderes.

O primeiro rei que Deus providenciou para os filhos de Israel foi Saul, ungido por Samuel (I Samuel capítulo 9). Infelizmente Saul foi desobediente e não agiu conforme a vontade de Deus.

Depois de alguns anos, Samuel teve de dizer a Saul que Deus o havia rejeitado como rei de Israel (cf. capítulo 15). Conforme veremos na literatura do reino, Deus continuou a usar os sacerdotes-profetas durante o período dos reis.

Quando o rei não fazia a vontade de Deus, o sacerdote-profeta o advertia com uma palavra vinda da parte de Deus, para que fizesse Sua vontade, a fim de evitar sofrimento para o povo.

Quando Saul passou a desobedecer a Deus, Samuel, o sacerdote que teve o privilégio de “contratar” o primeiro rei de Israel, recebeu ordens de Deus para o “despedir”.

Deus dirigiu Samuel a ungir o jovem Davi, que tinha um coração segundo a Sua vontade, a fim de ser o substituto de Saul (leia o capítulo 16; e leia também Atos 13:22).

Davi foi o melhor rei da história de Israel. Deus podia trabalhar através de Davi porque ele Lhe obedecia. Davi não era perfeito, como veremos, mas seu coração estava sempre submisso ao Senhor.

O sucessor de Davi foi seu filho Salomão. A princípio, Salomão pareceu ser o tipo de homem ideal para ser usado por Deus. Ele orou pedindo discernimento para governar o povo de Deus com justiça, e Deus o recompensou com sabedoria e também com riqueza e honra (I Reis 3:5-14).

Salomão realizou o sonho de seu pai Davi, que era construir o Templo do Senhor (I Crônicas 22). Infelizmente Salomão se rendeu às suas paixões e acabou se casando com setecentas mulheres e convivendo com mais de trezentas concubinas! Essas mulheres adoravam ídolos e Salomão juntou-se a elas na idolatria pagã (1 Reis 11:1-8).

Davi cometeu um pecado muito sério, como veremos adiante, mas foi o pecado de seu filho Salomão que trouxe conseqüências caóticas para o povo de Deus. Roboão, o filho de Salomão, foi o quarto rei na sucessão do trono de Israel (cf.11:41-43).

Depois de Salomão, Israel tornou-se um reino dividido. Das doze tribos de Israel, as dez tribos localizadas ao norte foram chamadas Reino de Israel. As duas do sul (Judá e Benjamim) deram origem ao Reino de Judá.

Os livros históricos dos Reis e das Crônicas listam todos os reis desses dois reinos. O reino do norte não teve um único rei bom. Os assírios, indescritivelmente cruéis, conquistaram o Reino do Norte e levaram suas dez tribos cativas e nunca mais se ouviu falar delas.

Judá também foi levado para Babilônia, onde viveu cativo durante setenta anos. Quando a Pérsia conquistou a Babilônia, Deus levou o novo imperador, Ciro, o Grande, a decretar que qualquer judeu que quisesse, poderia voltar para sua terra para reconstruir o Templo do Senhor (II Crônicas 36:22-23Esdras capítulo 1).

Os Livros Histórico-Literários do Reino podem parecer confusos e é necessário determinação para que os leiamos até o fim. Mas se você enfocar os sete fatos básicos da história dos hebreus apresentados a seguir, terá uma boa diretriz da história desse povo:

  1. O Reino Unido (sob o reinado de Saul, Davi e Salomão);
  2. A divisão do Reino;
  3. O cativeiro de Israel, (Reino do Norte pelos assírios);
  4. A extinção do Reino do Norte;
  5. O Cativeiro de Judá, (Reino do Sul pelos babilônios);
  6. A conquista dos babilônios pelos persas;
  7. O retorno do povo de Deus do cativeiro babilônico (persa).
Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...

Cadastre-se gratuitamente nos cursos do Ecncontro Com a Palavra

 

Clique no link abaixo e faça seu cadastro agora mesmo!

Últimos Artigos

O Evangelho Absoluto

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

A Graça de Dar

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

A Transcendência do Ministro

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

A Transparência do Ministro

segunda-feira, 9 de novembro de 2020