Encontro Com a Palavra

Outros Sermões de Moisés em Deuteronômio

Pr. Dick Woodward      segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Agora que já comentamos o sermão sobre graça, do capitulo nove, vamos considerar outro sermão de Moisés sobre a resposta do homem à graça de Deus, no capítulo dez do Livro de Deuteronômio.

“Agora, pois, ó Israel, que é que o Senhor requer de ti? Não é que temas o Senhor, teu Deus, e Andes em todos os seus caminhos, e o ames e sirvas ao Senhor teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, para guardares os mandamentos do Senhor e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem? Eis que os céus e os céus dos céus são do Senhor, teu Deus, a terra e tudo o que nela há. Tão somente o Senhor se afeiçoou a teus pais para os amar; a vós outros, descendentes deles, escolheu de todos os povos, como hoje se vê. Circuncidai, pois, o vosso coração e não mais endureçais a vossa cerviz” (Deuteronômio 10: 12-16).

Esse texto fala de como respondemos à graça de Deus. Deus nos ama mesmo quando erramos e nada do que façamos pode conquistar o Seu amor, porque o amor de Deus não é conquistado ou perdido de acordo com nossas atitudes.

Nada que façamos fará com que Deus deixe de nos amar. O Seu amor não é condicional. O amor incondicional de Deus abastece Sua misericórdia e Sua graça. É isso o que a palavra “graça” significa.

A graça é uma espada de dois gumes, que corta pelos dois lados. Primeiro ela declara que o amor de Deus e suas bênçãos não se baseiam em nosso comportamento.

Quando entendemos que as palavras graça, misericórdia e amor expressam o caráter e a personalidade de Deus, percebemos também que não há nada que possamos fazer para conquistar o amor de Deus. Ele vai nos amar sempre porque a essência de Deus é misericórdia, graça e amor.

Não há como perder a misericórdia, a graça e o amor de Deus por causa dos nossos erros. Deus não nos ama por causa das coisas boas que fazemos e nem vai deixar de nos amar porque erramos. Deus nos ama.

Jesus também nos ama, quando agimos bem e quando agimos mal, mesmo que isso O entristeça. Jesus sempre ama você.

Essa é a mensagem do livro de Deuteronômio e da Bíblia. Como você responde à graça, à misericórdia e ao amor de Deus?

Podemos fazer a mesma pergunta com outras palavras: quando você ama a Deus?

Uma mulher temente a Deus que viveu no século passado disse: “prefiro ir para o inferno a entristecer o Espírito Santo mais uma vez”.

Quando amamos a Deus com a consciência de que Seu amor é incondicional vamos querer agradá-Lo e não magoá-Lo.

Essa deve ser nossa motivação, para limpar nossas vidas de tudo aquilo que entristece a Deus, servindo-O e expressando nossa resposta a esse amor em grata e amorosa adoração.

Depois de escrever sobre a graça de Deus e a salvação, o apóstolo Paulo clamou: “E nós, na qualidade de cooperadores com Ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de Deus” (II Coríntios 6: 1).

Assim como é pecado falar o nome de Deus em vão, também é pecado receber Sua graça em vão.

Se Deus nos ama e derrama sobre nós Sua graça, se não fizermos nada com essa graça, estaremos cometendo o pecado de usar o nome do Senhor em vão.

No capítulo dez de Deuteronômio Moisés também nos exorta a não recebermos a graça de Deus em vão.

A seguir encontramos no capítulo 13, um sermão sobre a apostasia.

Apostasia significa “afastar-se da posição assumida anteriormente com Deus”.

Moisés declarou ao povo que se um filho, uma filha, mulher ou o melhor amigo tentar afastar alguém de Deus, essa pessoa deve ser morta sem piedade.

Moisés instruiu que quando aquele povo tomasse uma cidade apóstata, deveria destruir tudo nela.

Isso parece muito drástico, mas se estudarmos os resultados da apostasia, nos cativeiros babilônico e assírio, veremos porque Deus era tão severo a respeito da apostasia.

Deuteronômio 14

No capítulo 14: 22-28, Moisés ensina a respeito do dízimo. Recebemos o mandamento de ofertar um décimo de tudo que recebemos.

A essência do ensino sobre o dízimo é que devemos sempre colocar Deus em primeiro lugar em nossas vidas. Afinal, Deus não precisa de dez por cento da nossa renda. Ele ordenou o dízimo para avaliar nosso comprometimento com Ele.

A verdade que devemos aprender a respeito do dizimo é que de tudo que recebemos de Deus para suprimento das nossas necessidades, devemos separar a décima parte e devolvê-la para Ele.

De antemão Deus sabe se está ou não em primeiro lugar em nossas vidas; somos nós que às vezes não o sabemos. Por isso Deus ordenou o dízimo; para que manifestemos que Ele está em primeiro lugar nas nossas prioridades. Deus quer a primeira décima parte.

Quando os hebreus foram para a Terra de Canaã, a primeira cidade que conquistaram foi Jericó. Todo o despojo da cidade foi dedicado a Deus porque aquela era a primeira cidade a ser conquistada.

Duas palavras expressam a mensagem essencial dos livros, capítulos e versículos da Bíblia: “DEUS PRIMEIRO”.

Não é fácil colocar Deus em primeiro lugar, mas tudo fica mais fácil quando Ele ocupa essa posição.

Entregar o dízimo é um meio de medir nosso grau de comprometimento com Deus.

Encontro Com A Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...


Últimos Artigos

Apocalipse Agora

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Enfoque Sua Fé

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Deus em Primeiro Lugar

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Limpe Tudo Antes e Depois!

quarta-feira, 13 de novembro de 2019