Encontro Com a Palavra

Parábola das Coisas Perdidas

Pr. Dick Woodward      sexta-feira, 28 de julho de 2017

Compartilhe esta página com seus amigos

Jesus estava recrutando parceiros para trabalhar com Ele no cumprimento dos objetivos de Sua missão neste mundo.

capítulo catorze do Evangelho de Lucas termina com Jesus pregando um dos Seus sermões mais austeros, no qual reivindica um compromisso pleno daqueles que se tornam Seus discípulos.

capitulo quinze tem inicio mostrando que há duas maneiras de responder ao sermão austero de Jesus.

A dos publicanos e pecadores, que responderam de maneira branda à pregação de Jesus.

Eles se aproximaram de Jesus e formaram um circulo ao seu redor.

A outra é a dos fariseus e escribas que se afastaram de Jesus e formaram um círculo externo a este.

Assim, Jesus proferiu uma parábola para dois círculos concêntricos, formados por dois tipos diferentes de pessoas.

Ao redor de Jesus formou-se o círculo menor, de pecadores e publicanos que estavam sendo salvos.

Ao redor deste formou-se o círculo maior, composto de religiosos que diziam entre si: “Este recebe pecadores e come com eles”.

Este ensino de Jesus não é uma série de várias parábolas, mas uma única, que chamamos “A Parábola das Coisas Perdidas”.

Ela é dirigida principalmente para as pessoas do círculo externo, explicando o que estava acontecendo no círculo interno.

Nesse contexto Jesus também estava pedindo às pessoas do círculo externo que se tornassem parceiros com Ele, como estava ocorrendo com as pessoas do círculo interno.

Jesus começa assim a parábola: "Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la?

E quando a encontra, coloca-a alegremente sobre os ombros
e vai para casa.

Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’.

Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se". (Lucas 15:4-7)

Jesus estava dizendo àqueles do círculo externo: “vocês olham para as pessoas deste círculo interno e tudo o que conseguem enxergar são publicanos e pecadores, prostitutas, cafetões e ladrões.

Mas Deus vê nessas pessoas, ovelhas perdidas, e toda vez que uma ovelha perdida é encontrada, há alegria no céu”.

Jesus estava desafiando as pessoas do círculo externo: “Deus dá valor para os pecadores perdidos. Por que vocês também não se alegram quando essas ovelhas perdidas são encontradas?”.

Depois Jesus contou a história da moeda perdida. Ele disse que uma mulher tinha dez dracmas e perdeu uma.

Ela pegou uma vassoura e uma lamparina e começou a varrer e procurar por todos lugares até que encontrou a moeda perdida.

Quando a encontrou, disse a suas amigas: “Alegrai-vos comigo, porque achei a dracma que eu tinha perdido!”. (Lucas 15:8-10)

A idéia básica é que o que estava perdido foi encontrado, foi redimido.

A palavra “redimir” significa “comprar de volta” ou “trazer de volta” o que estava perdido.

Você e eu somos muito preciosos para o Senhor porque somos como aquela moeda perdida que Ele recuperou através da redenção pela morte e ressurreição do Seu Filho.

Essa é a essência do conceito de redenção e da parábola da moeda que foi perdida e encontrada.

Fica evidente o que Jesus estava dizendo àqueles do círculo externo: “estas pessoas estavam perdidas e foram encontradas!

Todos os anjos no céu estão se alegrando! Por que vocês também não se alegram?”.

Parábola do Filho Pródigo

“Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao seu pai: ‘Pai, quero a minha parte da herança’.

Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles.

"Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha, e foi para uma região distante; e lá desperdiçou os seus bens vivendo  rresponsavelmente. (Lucas 15:11-13)

Quando estudamos a Parábola do Filho Pródigo entendemos que a parte mais importante é quando ele retorna para cada.

Nessa ocasião é dada uma grande festa, com danças e celebrações. Um novilho também é morto.

Quando o seu irmão mais velho volta para casa, depois de mais um dia duro de trabalho, pergunta aos servos do seu pai: “por que meu pai está dando uma festa?”.

E o servo respondeu: “Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, porque o recebeu de volta são e salvo’” (Lucas 15:27)

O texto diz que o irmão mais velho ficou indignado, não querendo entrar em casa e juntar-se a seu pai na comemoração da volta do irmão.

Mas aquele pai amoroso, que saiu correndo ao encontro do filho abrindo os braços para abraçá-lo, também amava o filho mais velho.

Por isso suplicou-lhe: “Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu.

Mas nós tínhamos que comemorar e alegrar-nos, porque este seu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado” (Lucas15:31-32)

Essa parábola tão profunda também retrata o cenário das parábolas anteriores.

O filho mais velho representa o círculo externo de fariseus e escribas que não queriam entrar e participar com os anjos da celebração celestial aos perdidos que foram encontrados.

O Pai pedindo ao filho mais velho para se juntar à festa é Jesus convidando esses líderes religiosos para participarem com Ele da missão de buscar e salvar os perdidos, conforme os versículos chaves deste Evangelho. (Lucas 4:18 e 19:10)

A aplicação pessoal que extraímos desse ensino é que Jesus também está convidando você e eu para sermos parceiros com Ele na implantação do Manifesto do Nazareno.

Encontro Com a Palavra é um estudo escrito pelo Dr. Dick Woodward e narrado na voz do Pastor Edson Bruno.

Comentários

Siga-nos nas Redes Sociais e fique por dentro de todas as novidades...

Últimos Artigos

A Essência do Movimento Carismático

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

A Função da Unção

segunda-feira, 19 de outubro de 2020

Tudo Para Todos

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

O Manual do Casamento

segunda-feira, 5 de outubro de 2020